sexta-feira

um pouco piegas, talvez

lembro-me bem de como foi há um ano. e depois. tudo o que recebi, tudo o que melhorou a vida. estou grata por isso. sem coragem e generosidade, nada seria possível. sem afectos, o ar seria irrespirável. sem compaixão, haveria mais sofrimento. sem alegria, haveria menos sol. estou grata à mãe natureza e aos seres de luz. agradeço ao universo a persistência da vida, em detrimento do negativismo e do desespero. o que não nos mata, torna-nos mais fortes - é bem verdade. sinto enorme gratidão pela capacidade de prosseguir com valores, refém dos afectos que nunca morrem, curiosa pelo presente. salvé 2011!

terça-feira

é isso aí...



Damien Rice - The Blower's Daughter - Official Video

sábado

gostar não basta.
qualquer projecto merece um plano.
e cada plano exige trabalho de concretização.

algumas vezes, não vemos a realidade apenas porque não queremos ver.
um dia o sol mostra-nos que é possível outra vida. basta sermos
rij@s para aguentar a chuva e as tormentas até esse sol nascer.
nem a idade, nem um canudo, nem os laços de sangue justificam juízos insensatos e dor aos outros

ter experiência de vida, conhecimento bibliográfico ou afinidade familiar deveriam, ao invés, tornar-nos mais compassivos e afectuosos

segunda-feira

poucas coisas me danam tanto como aquelas atitudes em que nos tomam por parv@s ou por tans@s ... posso até não ter humor, imaginação, criatividade, esperteza... whatever! mas um pouco de rectidão e decência, essa rara limpeza de alma, ... faço questão de ter.
recuso-me a acatar esse chove-não-molha das relações sem confiança. não, não e não aos rodriguinhos, mistérios, meias verdades-ditas-a-brincar, meias-mentiras-ditas-a-sorrir, como se a convição do que é sério fosse um lançamento de dados...
ainda que fique demasiadas vezes no pelotão dos últimos, com muita dor à mistura, sei, pelo menos, que não tudo ou nada que me for retribuido, pode ser em dobro...
fuck them!


[Bethânia e Calcanhoto - Show 35 anos Depois de ter você]
... questão de crença...
um coração mais duro, mais rijo, garante-nos melhor saúde. é um coração mais seco e mais saudável, certamente.
por outro lado, um coração assim seria mais um na multidão, incólume à dor, à alegria, à emoção.

há, neste mundo, demasiada assepsia! ainda assim, continuamos a precisar de uma boa faxina, como a que antecede os dias festivos.

as revelações do sítio de julian assange estão a fazer tremer o mundo da política & finança.

dizem que o sr. que fez estourar o escandalo wikileaks é o grande inimigo público do século XXI. fabuloso! disseminou-se a informação pela internet e... era o advento de uma nova era, quiça o triunfo do 'mundo livre'...
alguém, alguma vez, em algum lugar sonhou que mesmo assim podia ter tudo sob controlo?

a esta hora, os velhos anarquistas rebolam a rir nas catacumbas.

sexta-feira

produto de marketing, arrivista musical, talento do showbiz, ícone dos tempos modernos, destrambelhada social, ARTISTA e tudo - o que for!... - Lady G sobe ao palco do pavilhão atlântico para um show que nenhum dos presentes vai esquecer.
hereges, comungai!

quinta-feira

muda-se de casa: movem-se os trastes, os vestígios passados, o espaço vivido e vários camiões tir de emoções.
finalmente, quando o novo espaço começa a fazer sentido por si, o cidadão pensa no resto.
por exemplo, actualizar a morada do cartão do cidadão, que tem cinco números da nossa relação com o estado. tudo dentro da lei. qual quê?! informam-me do número verde que é preciso saber onde pára a carta-pin do cartão do cidadão. depois, ir a um balcão, mostrar os dois. a seguir, esperar que enviem um novo pin para casa. finalmente, regressar com ele à loja para só então actualizar o registo de morada. a isto chama-se e-government - o governo digital: pelo menos duas deslocaões físicas para actualizar a morada. simplex!!
e-portugal no seu melhor!

quarta-feira

hugues cuénod foi um tenor suiço, que dizia nunca ter tido uma grande voz (?!). o 'público' faz-lhe o obituário, onde tudo é surpreendente.
o homem foi-se com 108 anos, tendo-se retirado dos palcos quando já tinha 92.
"não é culpa minha, eu não fiz nada por isso! tenho saúde, sou preguiçoso e tenho um querido amigo para cuidar de mim." - dizia.
aos 104 anos casou-se com o companheiro de décadas, 40 anos mais novo - quando a lei suiça passou a autorizar o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

[há vidas discretamente heróicas]

terça-feira

espreito os blogs da coluna ao lado. um a um, vai demorar dias...
o assumidamente encerrou há poucas semanas. R.I.P.
gravo a frase perfeita para mim:
"Tenho este péssimo hábito de deixar as coisas subsistirem de alguma forma, perfeitamente consciente de que elas morreram, mas teimando continuar a carregá-las às costas já depois de mortas."
é! às vezes, finalmente, desisto.












sábado,11 dez. 18h00
relançamento histórico:
"as novas cartas portuguesas" na livraria leya na barata, lisboa. há textos que nunca passam de moda porque são a nossa vida.
personalidades de inverno são mais complexas – leio no jornal ‘i’, que cita investigadores de uma universidade norte-americana.
pode soar a astrologia, dizem eles, mas não é: é biologia sazonal - o relógio biológico é regulado pela estação de nascimento, pela exposição à luz, pela duração dos dias… isso explicaria haver doentes diagnosticados com sintomas de desordem afectiva sazonal, também conhecida por blues de inverno.

[sim, mesmos os cientistas acabam por dar 'a mão à palmatória', confirmando um saber com milhares de anos.]
ontem voltou o sol, durante um bocadinho. (…)é só um intervalo, mas é muito melhor que nada. (…)assim se aprende a andar, de intervalo em intervalo.
MEC – Público – 07.12.2010

sexta-feira

all the lovers

saltei junho, que teve casamento, marcha, arraial e uma data de coisas sem importância nenhuma...
julho arromba as portas com uma música que não sai da cabeça e vai directamente para o top dos clips [http://www.youtube.com/watch?v=zixQYDeRtzI] que mais me impressionam as retinas...
não sei bem o que se passa, se é do calor, do amor, se é do ar, do mar, respira-se assim:


All The Lovers by kylieminogue

quarta-feira

se tens olhos páras?

como se detecta um amor impossível?
não tem semáforos, nem sinaleiros.
levas o pé ao acelerador como se a via estivesse livre.
mas há sempre um condutor espertalhaço ou imprudente
que não cuida de si nem da vida dos outros.

há sempre alguém que toma o encalço da dianteira
sem imaginar o estampanço fatal dos ferros retorcidos.

podes até ter uma condução desabrida,
a verdade, porém, é que não é isso que te faz louca
apenas permissiva e um pouco mais fantasiosa que o habitual.

as regras, desde que te conheces, são para infringir
sem mal ao alheio e muito menos ao bem-querer.

e se tu o consegues, entre vacilações de eros e tanatos,
insistes que outros devem ter o mesmo equilíbrio,
porque realmente nada morre, a não ser quando decidimos não sentir
e isso, é uma infíma probabilidade e uma infinita oportunidade
de viver.

segunda-feira

tempo de acabar com os armários

promulgada a lei da igualdade no casamento



[artesanato numa loja de Viana do Castelo]

17 de Maio_dia mundial de luta contra a homofobia...

Que nenhuma estrela queime o teu perfil
Que nenhum deus se lembre do teu nome
Que nem o vento passe onde tu passas.

Para ti criarei um dia puro
Livre como o vento e repetido
Como o florir das ondas ordenadas
.

[Sophia de Mello Breyner Andresen]

quinta-feira

la boutique de lolita

garanto que não conhecia, mas cheira mesmo bem...
Lolita Lempicka m'echante... comme toi!

terça-feira

beijar no porto, e em lisboa?

todo o beijo é legítimo

qualquer beijo deve ser bom

beijar nunca é de mais!


quarta-feira

perdoai-lhes, senhor, porque sabem o que fazem

não gosto do papa, nem do país beato.
mas respeito as crenças alheias.
é legitimo esperar que me respeitem a laicidade.
estou farta de ver o papa benedito nos media e por todo o lado.
sei que o pior ainda está para vir: um país falsamente santo a fazer de manso, num maio impiedoso, em devota submissão às cúpulas eclesiásticas.

este papa faz-me lembrar inquisição. mas depois, as manchetes lembram-me que ele também me faz lembrar censura, conivência com a pedofilia e tudo sob o manto diáfano da santíssima hipocrisia.
agora sim: eu fazia bem um intervalo no calendário e emigrava para terras pagãs.
além disso, trabalho nos dias papais! não me faltam motivos para o ateísmo.

banais como os outros



reportagem de Pedro Coelho, emitida na sic

p.s. - o chefe de estado não gostou que o tribunal constitucional não tenha dado razão às suas 'dúvidas' sobre a lei do casamento (entre pessoas do mesmo sexo); o papa vem e vai-se e cavaco silva -diz-se - vetará politicamente o diploma. a lei regressa ao parlamento e voltará a ser aprovada. lá para o pino do verão, com um bocado de sorte, sai a boda...

sexta-feira

... sabor do gesto



Pelo Sabor do Gesto - Zélia Duncan

quinta-feira

ninguém é obrigado a casar, mas pode

podia até não ser comigo.
podia ser um fait-divers.
podia ser uma questão fraturante.
podia ser um campo de batalha.
podia ser um braço de ferro.
podia ser uma crise política.
mas, não, não era a mesma coisa...
o t.c. não leu* inconstitucionalidade no direito ao casamento (entre pessoas do mesmo sexo)


*(11 votos a favor e 2 contra)

terça-feira

tu

digam o que disserem, há coisas que só se encontram na idade.
não há dramas maiores, só a tua rabujice entremeada com a doçura dos olhos verdes
nunca falta aquele toque terno do carinho que partilhamos, nem o dolce fare niente dos dias simples e cheios

digam o que disserem, a idade pesa a relatividade do que é grave ou tolerável, na cadência das cedências que não o são
não há longe nem distância, nem frio que não se aqueça, nem fome inultrapassável, só o tempo arrastado em delongas
e assim, modestas embora, cumprimos os dias sem pressões de amanhãs que - sabemos - não cantarão milagrosamente
o único segredo é mesmo o do sono a esvair-se súbito porque te apetece dançar
ou nos apetece fazer amor, ou apenas sentir os corpos e o cheiro deles, vagarosamente...

segunda-feira

desasadados de todo o mundo, uni-vos

desandei daqui para me encontrar num sítio desconhecido. a busca faz-se apaixonadamente com um roteiro em xarada. sobrevem um medo ténue com o risco de falhar. algo nos diz que cometemos sempre os mesmos erros, com colorações diferentes de negro. de futuro, não sei nada - apenas que no exacto momento em que o usufruo ele se torna presente e logo, logo, passado. não adianta fazer contas de somar nem refinados cálculos de probabilidades. a permanência dos afectos é só uma subtileza de linguagem, e 'todo o mundo é composto de mudança, tomando sempre novas qualidades'.
alto é o voo e maior ainda a queda, mas se não se descola, onde está o gozo de voar?


p.s. - o t.c. deve pronunciar-se até 8 de abril sobre a lei do casamento entre pessoas do mesmo sexo. por que não?



clip via nascidos do mar

terça-feira

explain

[explain] Vídeo por Sarah Blasko - Vídeos do MySpace

sarah blasko, australiana, 33 anos
revelação de sonoras emoções


sábado

ary - homenagem

viviane - projecto "rua da saudade" - coliseu de lx.

terça-feira

twice

eis-me de volta aos planos iniciais.
dois erros.
depois. o conserto.
completamente estúpida a constatação evitável.
corrigem-se rotas mas repetem-se enganos.
faz-se a peregrinação do costume, penosamente.
como diz uma amiga minha, os gémeos puxam em sentidos contrários.
amigo não empata amigo.
se o tal 1% existe, um dia meto-me a caminho...

segunda-feira

evidências

suporto mal a estupidez alheia, mas ainda menos a minha própria

quinta-feira

domingo

eu, tu e tudo

hoje é diferente. isso basta.
o teu corpo sabe a tudo o que preciso.
o tempo chega para saborear cada instante contigo.
amo-te inteira.
o futuro do passado é este agora.

quarta-feira

também

Quero ficar com você
E é tão fundo
Que eu posso dizer
Que o fim do mundo
Não vai chegar mais

Quero ficar com você
E é a glória do saber querer
Com longa história
Pra frente e pra trás

Não quero que o nosso amor
Seja um buraco no não
Mas sinal na trajetória
Da vida e da canção
Marca de queda e vitória
Na palma da mão
Sombra, memória e porvir do coração

Não deixe que o nosso amor
Seja um corisco no caos
Mas passos da liberdade
Pisando seus degraus
Feito de momentos bons
E de momentos maus
De descobertas, de ventos, velas, naus


[Maria Bethânia - composição de Caetano Veloso]

terça-feira

"em manutenção"



pásion - rodrigo leão ensemble

heaven can wait




charlotte gainsbourg - esta mulher merece um óscar [antichrist]!

domingo

still black

os meses sucedem-se e ela no fio da navalha


domingo

where the wild things are...



...uma banda sonora encantadora [o sítio das coisas selvagens] - filme (muito pouco) infantil

quinta-feira

RTP - LINHA DA FRENTE [clicar]

S.O.S. - SÓS [reportagem sobre Helena e Teresa, quatro anos depois]

domingo

sapiência

"Não digas tudo o que sabes
Não faças tudo o que podes
Não acredites em tudo o que ouves
Não gastes tudo o que tens


Porque
Quem diz tudo o que sabe,
Quem faz tudo o que pode,
Quem acredita em tudo o que ouve,
Quem gasta tudo o que tem;

Muitas vezes
Diz o que não convém,
Faz o que não deve,
Julga o que não vê,
Gasta o que não pode."


[provérbio árabe]

sexta-feira

casa comum

colecciono sono, desenganos e sentidos únicos. junto diversidade, abertura e franqueza. misturo tudo, em doses medidas de cansaço. pincelo com sol e lua cheia - grande, brilhante, redonda. somo-lhe dois copos de tinto bom e uns shots de fruta tropical. um pouco de fumo e muitas histórias loucas nas vidas dos outros. meto-me num taxi e vou dormir no meu ninho. os filhotes são crescidos e, da ninhada, a mais irresponsável sou eu mesma: não posso fumar e prevarico. esquerd@ sempre foi o meu lado fraco, porque haveria de ser diferente agora?
sorrio ao destino traiçoeiro e comovo-me com pouco. não quero sexo sem nexo, nem nexo sem pretexto. porto-me bem, faço tudo direitinho. consigo resultados e a vida escorre simpática. há sustos que me apanham de repente e atemorizada sacudo as penas. troco salário por mil encargos... nada é meu, só eu.




post scriptum: perguntar sempre como vais? pois se há coisa menos humana é manifestarmos atenção com alguém que só vê o seu mundo e nem se lembra de nos ripostar: 'e essa saúde?' ou 'o trabalho, corre bem?' 'e a família?' ou apenas 'como vai a tua vida?'. não se perde nada, é certo. acontece que o noss@ interlocutor@ pode estar a falar com alguém subitamente milionário, alguém aterrorizad@ pela doença, ou uma alma à beira da redenção...
o remorso do 'nem quero saber', mais tarde ou mais cedo, tilinta-nos na cabeça quando nos encontramos a sós, connosco.

quarta-feira

queer, antes do tempo

Annemarie Schwarzenbach - uma exposição sobre esta mulher andrógina, perturbadora, belissíma, abre no CCB a partir de 22 de fevereiro.
não a conhecia mas depois da S.S. me ter dado dicas sobre ela pelo gmail e mais recentemente pelo facebook, fiquei hipnotizada pela figura! claro que há alturas na nossa vida em que somos mais sensíveis a certas personalidades. e é muito provavelmente o caso. ao ponto de já estar a devorar o 'Morte na Pérsia', um fantástico livro de viagens e dilemas editado pela Tinta da China.
Annemarie Schwarzenbach nasceu em 1908 e morreu aos 34 anos. anjo louco e inconsolável, como nós.



domingo

hereges (2)

ÁGORA, uma história perfeita para feministas, humanistas e crentes de todas as latitudes. maravilhosa personagem aquela que raquel weisz desempenha, Hypatia - uma mulher ateia que procura conquistar o seu lugar na sociedade de Alexandria.
um filme europeu muito bem executado, em que é impossível não sentir o arrepio das turbas, e se percebe que desde sempre houve mulheres que não se recataram no amor e obediência que ele presupõe, e menos ainda aceitaram sucumbir às multidões de crentes acríticos, qual alcateia...


NINE,... uma homenagem ao cinema, dos tempos aúreos da cinecittá. uma coleção de mulheres extraordinariamente belas - ah...a sedutora marion cotillard! - e um Daniel Day-Lewis atormentado e controverso, como eram os realizadores neo-realistas europeus. eis um musical comestível mesmo para quem não aprecia musicais: é uma festa de ritmo, feita de sensibilidade sentida pela arte do cinema.

sábado

hereges




- trailer do documentário sobre feministas

sexta-feira

désormais

não dar crédito a quem alimenta o felino a gourmet
e foge de 'dar uma mão' a alguém caído na rua...

- e... se o haiti fosse aqui?!?!


terça-feira

quem não muda o mundo, muda-se

e há quem diga que a história não se repete. claro que repete, com ligeiras nuances, e nunca chega ao fim... nem vale a pena pensar - sempre entendi assim - qual é o fim.
há uma década (?!) estive numa situação semelhante. não me lembro da conjuntura toda, só dos detalhes. e agora, por muito que tentasse evitar, a situação tornou-se uma imposição de quem realmente manda nestas circunstâncias: há que aproveitar.


como diz uma amiga minha, "na vida nada é equilibrado, é tudo vacas gordas ou magríssimas!"

segunda-feira

torácica

a caixa está violada. o peito range como uma porta velha. há um assobio de vento fugindo de dentro. todo o tronco é uma harmónica roufenha. no interior, a humidade do mar da escócia. e uma dor subtil interrompida pela tosse. raivosa, compulsiva, sem macieza alguma. limita-se o expirar. inspira-se em curtos fôlegos. e novamente a porta, no peito, com dobradiças ferrugentas chiando baixinho...

domingo

santos não fazem milagres

veja-se "as vidas privadas de pippa lee" e não se estranhe as memórias insólitas, nem a mais-valia de actrizes como julianne moore, monica bellucci, ou keanu reeves. boas histórias têm personagens complexas e diálogos simples. ou vice-versa?



veja-se que ainda o "casamento entre pessoas do mesmo sexo" não tem sequer forma de lei e há quem reclame, entre os defensores do dito, o direito de casar sob a benção de santo antónio, um ícone da igreja que as/os recusa liminarmente. é razoável exigir ser sócio de um clube com preconceitos que nxs rejeitam?



veja-se o efeito balsámico de um chá de limão, ou gengibre, sobre uma caixa toráxica estourada, ou o efeito do poder curativo de gastos extra com que se cura a tristeza de tempos sombrios. o que se perde é ínfimo face ao que se ganha, ou não?

sábado

e se deus não dá...

encostada às boxes, com os brônquios k.o.
desta vez, não vale mesmo a pena contrariar o meu lado esquerdo!
...ainda a alegria de uma noite: enquanto manuel alegre dava sinal de que vale a pena acreditar na república, a voz de lula pena no musicbox sussurrava grande paleta de sensações, da vida e do adeus.



[ segundos captados ontem ao vivo, só no facebook]

...

sexta-feira

casamento em banho-maria

podia ser uma excelente notícia, assim, é só (mais) o princípio.
a aprovação esta manhã no parlamento da república da proposta do governo sobre 'casamento entre pessoas do mesmo sexo' promete arrastar-se...
graças a uma repórter parlamentar [obrigada, s.b.:)] fiquei a perceber que funciona mais ou menos assim:

o diploma desce agora à comissão parlamentar da especialidade, o be vai tentar 'entalar' o ps na questão da adopção - que, neste cenário, constitui um embróglio constitucional - o diploma volta depois a plenário para a votação final global. não havendo aí surpresas, isto é, repete-se o consenso à esquerda parlamentar na (re)aprovação, o texto está apto a seguir para a presidência da república. passaram-se aqui algumas semanas...
cavaco silva pode 1)promulgar de imediato o diploma (?!), 2)pode também veta-lo por razões políticas, e 3)pode - eu apostaria nesta hipótese - enviá-lo para o tribunal constitucional para pedir a fiscalização da lei. quer isto dizer, pede ao tc que se pronuncie sobre se o diploma está de acordo com a constituição.
feitas as contas, vão ser semanas e mais semanas em banho-maria...
com sorte, lá para a primavera ou mais perto do dia da 'pride', talvez haja casamento para todos e todas que o quiserem.
se continuar a haver governo...
p.s.- mas este dia/símbolo já ninguém nos tira!

quinta-feira

a melhor notícia até agora

os arcade fire vão lançar novo disco (o terceiro) até ao final do ano! o primeiro single, diz-se, pode sair em maio - há lá mês melhor! rezo ao padroeiro dos managers dos concertos para que se lembrem de os trazer cá no próximo verão. depois, é só 'correr seca e meca' para garantir lugar.



nos cinemas:"Where the Wild Things Are is" - inspirado na música dos Arcade Fire, a única banda que me põe em fila...
[saudades deles em 2007, coff...coff...] para os fãs, um concerto inteirinho aqui

quarta-feira

goals

dizem que a vida tem de ser por objectivos.
um, maximalista, renovar o guarda-roupa.
outro, realista, fazer mais três furos no cinto.
vou ver se encontro 'o caminho do meio'.

domingo

belo

surpreendente descoberta: this immortal coil, uma re-interpretação dos 'coil' (tb no youtube).
this immortal coil com o álbum "the dark age of love" pode ser escutado aqui. para conhecer mais deste colectivo de homenagem [Yaël Naim, Bonnie Prince Billy, Yann Tiersen, Matt Elliott, DAAU, Chapelier Fou, Sylvain Chauveau, Christine Ott, Oktopus, Nightwood, David Donatien, Nicolas Jorio] espreite-se o site ou o myspace .